Para a Organização Mundial da Saúde – OMS, ser saudável é mais que estar livre de afecções e enfermidades, ou seja, significa o estado completo de bem-estar físico, mental e social. A partir dessa informação, é possível compreender a quantidade de profissionais com o objetivo de promover a melhoria da qualidade de vida.

Mesmo considerando o fator genético, é possível tomar vários cuidados para afastar patologias que atingem artérias e vasos sanguíneos. A melhoria da circulação sanguínea também reduz riscos para outros tipos de doenças. Além de contribuir de forma significativa para uma boa evolução de qualquer tratamento em andamento. Para uma boa circulação sanguínea, é fundamental combinar bons hábitos alimentares com exercícios físicos.

Por este motivo, resolvemos publicar vários artigos para te ajudar a entender a importância de cuidar da saúde, objetivando uma boa circulação sanguínea a fim de evitar doenças nas artérias, veias e vasos linfáticos. Essa página também vai te informar sobre as novidades e os tratamentos mais modernos nessa área.

problemas-de-circulação

Problemas de circulação

Eco-Color-Doppler-Varizes

Diagnóstico de varizes com eco doppler colorido

 

O que é eco doppler colorido?

eco doppler colorido é um exame que utiliza a ultrassonografia aliada à tecnologia de ponta para analisar veias, artérias e vasos capilares. O procedimento permite mostrar com clareza o padrão do fluxo sanguíneo a partir de imagens de alta qualidade, que auxiliam o médico responsável a realizar o correto diagnóstico de uma possível complicação vascular.

O grande diferencial do eco doppler colorido é a possibilidade de analisar a dinâmica do sangue no organismo, reunindo informações sobre velocidade, característica e volume. A imagem colorida pode mostrar com clareza a diferenciação entre veias – retratadas em azul – e artérias – retratadas em vermelho, o que não era possível no ultrassom convencional.

Com isso, é possível identificar trechos na circulação sanguínea que apresentam estreitamento, dilatações, malformações, alterações de velocidade de fluxo, dentre outras complicações, ao comparar áreas saudáveis com regiões doentes.

Como o exame é realizado?

O ultrassom com eco doppler colorido é realizado com o auxílio de um aparelho específico capaz de emitir ondas sonoras, que atingem o tecido e retornam como um eco, que por sua vez é convertido em imagens exibidas em um monitor. Assim, o médico responsável consegue analisar e interpretar as imagens transmitidas.

O procedimento é indolor, não invasivo e possui duração média de 30 minutos. Por se tratar de um exame considerado simples, não é necessário nenhum tipo de preparação prévia, salvo em casos que o médico recomenda o jejum antes do procedimento.

Para quem é indicado?

De maneira geral, o exame é indicado para pacientes de todas as idades, até mesmo para as crianças. O exame não possui restrição e é recomendado, inclusive, para pacientes gestantes  – sobretudo para medir o fluxo sanguíneo da mãe para o feto – uma vez que não é invasivo e não utiliza radiação.

O procedimento é aconselhado em casos de suspeita de alterações nos vasos sanguíneos, como estreitamento, dilatação ou oclusão, sendo recomendado para diagnosticar e avaliar as seguintes condições:

  • varizes;
  • trombose;
  • aneurisma;
  • estreitamento ou oclusão nas veias e artérias.

Quais os principais tipos de eco doppler colorido?

O exame pode ser recomendado para avaliar a circulação sanguínea em praticamente todas as regiões do corpo, sendo que os principais pedidos do exame são para avaliar:

  • vasos sanguíneos das pernas;
  • vasos sanguíneos da tireoide;
  • artéria renal;
  • carótidas;
  • aorta;
  • dentre outros.

Saiba mais sobre os nossos procedimentos e Exames

Por que fazer o tratamento de Varizes

Por que fazer o tratamento de Varizes?

cirurgia vascular Brasília

Cirurgia de Varizes – Como saber quando é a melhor opção

As varizes podem se apresentar de diversas maneiras, sendo classificadas em seis graus.

Por exemplo, as varizes de grau 1 são aquelas que parecem formar uma teia de aranha na pele e estão mais relacionadas ao incômodo estético, pois não causam desconforto físico considerável ao paciente.

Assim, a medida que o grau vai aumentando, as varizes se tornam cada vez mais grossas e, consequentemente, aumentam a gravidade do problema.

As varizes extremamente dilatadas e tortuosas e causam dor ao paciente são mais preocupantes e necessitam de tratamento imediato, para evitar maiores complicações.

Geralmente, essas varizes maiores, que possuem de três a cinco milímetros, ou até mais, são as que têm indicação para serem tratadas por meio da cirurgia.

Dentre as técnicas existentes para retirar ou “secar” a veia varicosa, é possível optar pelo método cirúrgico convencional ou pela remoção de varizes a laser. Conheça, a seguir, as diferenças e como os procedimentos funcionam.

Cirurgia de varizes convencional

Na cirurgia de varizes convencional, as veias dilatadas são removidas por meio de microincisões na pele. Para remover as veias doentes, será necessário utilizar um dispositivo parecido com uma agulha de crochet, que poderá extraí-las com eficácia.

Caso a veia de safena também esteja comprometida, será necessário retirá-la com uma incisão na pele, feita na região da virilha, e outro pequeno corte na parte interna do joelho ou na parte interna anterior do tornozelo.

Nesses pontos, a veia safena será identificada e, então, temporariamente isolada. Posteriormente, será criada uma pequena passagem para introduzir nela um fino cabo de aço, que auxilia na retirada.

A cirurgia é o método mais tradicional, mas, graças ao avanço tecnológico, já é possível realizar esse tratamento de modo mais rápido, contribuindo, também, com a recuperação do paciente.

Cirurgia de varizes a laser

Quando a opção pelo procedimento cirúrgico é por meio do uso do laser , conhecido como laser endovenoso, a remoção da veia torna-se desnecessária. Isso acontece porque a energia do laser se encarrega de eliminar a veia doente com eficácia.

Por outro lado, junto à aplicação do laser, será necessário implantar uma fibra ótica direto na veia danificada, para conduzir os pulsos de energia do laser ao longo da veia. Isso provoca uma lesão térmica em seu interior e, com isso, evita que o sangue volte a circular nela.

Para colocar a fibra ótica, o cirurgião vascular poderá optar pela punção com uma agulha, ou, então, por uma única e pequena incisão na pele. O procedimento a laser é acompanhado por um aparelho de ultrassom, que orienta o médico em todo o processo cirúrgico com perfeita visualização.

É importante ratificar que, em qualquer um dos procedimentos escolhidos, o paciente poderá perceber igualmente uma melhora significativa das varizes, tanto na aparência quanto na diminuição dos desconfortos, proporcionando mais qualidade de vida.

Converse com um cirurgião vascular, que poderá orientar sobre o melhor procedimento para você